Veja como um ERP pode te ajudar a formar seu preço de venda

Entre as principais ações que podem ser tomadas dentro de uma empresa, a formação do preço de vendas é uma das mais importantes.

Esse processo exige a análise de diversos fatores que influenciam no preço de um produto e que precisam ser levados em conta.

O custo de aquisição do produto, os impostos/tributos, as despesas e o próprio preço de mercado são algumas dessas parcelas que influem na formação do preço de venda.

Por ser um processo complexo, muitas vezes as empresas cometem erros na hora de definir o preço para a venda de determinado produto, o que causa resultados terríveis.

Colocar um produto para ser vendido por um preço não calculado da forma correta pode levar a enormes prejuízos financeiros, principalmente se o item tiver muita saída.

Dessa forma, é impossível negligenciar a etapa da formação do preço de vendas e, pelo contrário, deve-se procurar formas de fazê-la da forma correta.

Uma das ferramentas que podem ajudar a sua empresa é o ERP, Planejamento de Recurso Empresarias, um sistema muito importante para essa etapa.

Pensando nisso, trouxe aqui esse artigo falando um pouco sobre os métodos de formação do preço de venda e como o ERP pode te ajudar nesse processo.

ERP e a formação do preço de venda correta

Para iniciar, você conhecerá alguns dos métodos para precificação correta de um produto e depois verá como o EPR pode ser útil nessa etapa de formar o preço de venda.

Mark-up direcionado para a compra e automático com base na margem sugerida

O mark-up é um índice que deve ser aplicado sobre o custo de um produto ou serviço para que haja a formação do preço de venda.

O intuito desse índice é que se ache o preço de venda correto que seja capaz de gerar o lucro pretendido, somando-se os gastos com produtos, como despesas e custos com impostos, e o próprio lucro pretendido.

O preço de venda, portanto, deve ser capaz de, abatendo-se os valores de despesas do produto, leve a uma margem de lucro para a empresa.

Muitas dessas empresas erram ao tentar colocar uma margem de lucro muito alta, visando um ganho rápido, bem como falham quando colocam um preço abaixo do que o necessário para lucrar com a venda.

A margem sugerida pelo mark-up deve ser respeitada, de forma geral, mas ela pode ser adaptada dependendo da situação do mercado e do produto em questão.

Custo calculado automaticamente pela produção

Quando uma empresa fabrica seus próprios produtos, o custo final dele deve levar em conta os itens (matérias-primas) usados na sua produção.

No caso da mão de obra, ela não é considerada na formação do preço de venda se o trabalhador recebe um salário fixo.

Entretanto, se além desse salário ele receber uma bonificação por cada produto produzido, então esse valor bônus de mão de obra entra no cálculo da precificação.

Vamos supor, por exemplo, que uma padaria produz um bolo comum usando leite, margarina, farinha de trigo, açúcar e ovos.

O preço final desse bolo vai ser o somatório dos valores de todos esses ingredientes (de acordo com a quantidade utilizada na receita).

Se o confeiteiro ou padeiro responsável pela produção do bolo receber um bônus por cada unidade feita, então esse preço por unidade será acrescido ao valor de venda final do bolo na padaria.

Dessa forma, portanto, é feita a formação do preço de venda calculado automaticamente pela produção.

PMZ: Preço Margem Zero (Ponto de Equilíbrio)

O PMZ (Preço Margem Zero) é um método utilizado para encontrar o ponto de equilíbrio no preço de um produto, ou seja, aquele preço com o qual a empresa não terá nem lucro nem prejuízo.

Esse método é muito utilizado por empresas que querem vender um determinado produto apenas para reaver os custos obtidos com sua aquisição, sem lucrar.

A precificação é feita com base no valor que o produto foi adquirido mais os encargos sobre o preço de compra, com margem de lucro zero.

Apesar de algumas empresas, em situações determinadas e provisórias, fazerem uso dele para vender sem lucro, muitas utilizam apenas para encontrar o ponto de equilíbrio no preço mínimo desse produto.

Portanto, para aquelas empresas que desejam apenas encontrar o valor mínimo de venda antes de estipular o valor real para lucrar, essa é uma ótima técnica de formação do preço de venda.

Como o ERP ajuda na formação do preço de venda então?

No processo de formação do preço de venda, como você pôde ver, é preciso analisar e calcular diversos fatores, como despesas, tributos e margem de lucro, enfim, uma diversidade de números e valores.

Para facilitar toda essa análise e cálculo para chegar ao preço final de venda é que entra o uso do sistema ERP, onde são armazenados todos esses dados da sua empresa.

A formação do preço de venda é feita por um recurso existente no ERP, restando a você apenas adicionar os dados necessários para que ele faça os cálculos.

Isso ajuda não só a agilizar o processo de formar o preço de venda de todos os produtos, mas também evita erros humanos por parte dos funcionários, o que sempre pode ocorrer.

Conclusão

Como você viu, a formação do preço de venda é uma etapa importantíssima para o sucesso financeiro de uma empresa, ao mesmo tempo que é extremamente complicada e passível de erros.

Para evitar essas falhas e eventuais prejuízos ao seu negócio é que você deve fazer o uso do ERP para precificar corretamente os preços dos seus produtos.

E aí, gostou do artigo?

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato para que nossa equipe possa ajudar você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *